Conferência da Dr.ª Luísa Monteiro

A 3 de março assinala-se o DIA MUNDIAL DA AUDIÇÃO, sob o alto patrocínio da Organização Mundial De Saúde (OMS). O lema escolhido para este ano, “Ouvir com cuidado para ouvir toda a vida”, pretende chamar a atenção para a preservação da capacidade auditiva ao longo da vida.  

No dia 12 de Março de 2022 a Associação Portuguesa de Otoneurologia, em conjunto com a Casa da Música, patrocinou uma iniciativa destinada ao grande público e inserida nas celebrações do Dia Mundial da Audição. Esta importante iniciativa teve lugar num local simbólico onde a Orquestra Sinfónica do Porto fez jus à efeméride, maravilhando o público ouvinte presente na magnífica Sala Suggia. Sem audição não é possível apreciar esta dimensão tão significativa da arte, universal e transversal a toda a humanidade e que é a audição. A Associação Portuguesa de Otoneurologia festeja este ano o seu vigésimo quinto aniversário e expressa uma pujança científica e um comprometimento social notável presente desde a sua fundação até ao presente.

Uma conferência de cerca de uma hora teve lugar precedendo o concerto, na sala Cybermúsica, centrada no tema da preservação da audição ao longo da vida, proferida por Luísa Monteiro, a convite da direção da APO. Visou a sensibilização do público para a importância que a audição tem para o ser humano e a sua interação com o mundo. Ouvimos com o cérebro, desde que ao longo das várias etapas da vida saibamos preservar e restabelecer a audição.

A OMS estima que em 2050 uma em cada quatro pessoas tenha uma perda auditiva que necessitará de cuidados. A perda auditiva tem um impacto negativo na qualidade de vida das pessoas afetadas que é diretamente proporcional ao grau de perda auditiva e tanto maior quanto mais cedo na vida ela se instala, dificultando a aprendizagem da fala, a comunicação, a integração social e escolar e familiar e o acesso ao mundo do trabalho.

Sabe-se que 60% das perdas de audição podem ser evitadas, quer através de medidas de saúde pública quer através de campanhas de sensibilização da população para evitar o traumatismo acústico  causado em ambiente de trabalho em profissões sujeitas a ruído industrial (fábricas, pistas de aviação, construção civil), tiros e explosões (caçadores, militares, carreira de tiro) e até em ambientes recreacionais com música muito alta (DJs, artistas rock e pop, frequentadores assíduos de concertos e discotecas) e até o uso indevido de fones com volumes de saída da música em intensidades superiores às regulamentadas.

Em Portugal em 2019 nasceram 86 579 crianças e embora todos sejam sujeitos a rastreio, só foi possível obter os resultados desse rastreio auditivo neonatal de 75,6% desta população (65 503 recém-nascidos), tendo sido identificadas 146 crianças com algum grau de perda auditiva e que foram devidamente encaminhados para reabilitação auditiva. No nosso país desconhece-se o número total de cidadãos que são portadores de algum grau de deficiência auditiva e que necessitam de intervenção.

Nos países desenvolvidos estão implementadas medidas de prevenção da surdez infantil tais como a vacinação dos jovens contra a rubéola e o seguimento e ensino das grávidas para evitar e detetar de doenças infeciosas que, ao ocorrerem na gravidez, podem provocar surdez no bebé: sífilis, toxoplasmose e citomegalovirus (CMV).

As infeções otológicas graves, os colesteatomas e doenças progressivas como a otosclerose podem também ser uma causa de perda auditiva, especialmente em países com difícil acesso a cuidados diferenciados de saúde. Meningites bacterianas, traumatismos cranianos, exposição a altos níveis de ruído ao longo da vida são algumas das causas de perda auditiva que surge em qualquer idade.

O envelhecimento traz consigo, geralmente, um grau progressivo de perda auditiva dos idosos que frequentemente é desvalorizada pelo próprio e pelas famílias, por ser progressiva e atingir sobretudo a inteligibilidade da fala. A surdez associada ao envelhecimento potencia a degradação das funções cognitivas, o isolamento social, a depressão e a demência e deverá estar na ordem do dia dos sistemas de saúde. É reconhecidamente o principal fator (corrigível) de demência, com uma importância mais significativa do que a hipertensão, a diabetes e a dislipidemia.

A identificação precoce e sistemática da perda de audição através de rastreios de base populacional já é feita em Portugal desde há décadas nos recém-nascidos, pretende-se que na idade pré-escolar também comece a ser feito sistematicamente para que na escola todas as crianças tenham as melhores condições para se integrarem e atingirem o sucesso académico.

Nas populações adultas sujeitas a ruído profissional os rastreios previstos na lei laboral são também periodicamente efetuados.  Resta a população vulnerável dos idosos que terá de ser alvo de campanhas de sensibilização das populações e rastreio sistemático a partir da idade da reforma.

O objetivo dos rastreios é o tratamento precoce com planos de reabilitação auditiva através de adaptação de próteses auditivas ou de cirurgias de restauração de audição, quando indicado, incluindo os Implantes Cocleares. Uma rede nacional de cuidados auditivos é desejável e inclui profissionais de saúde (Audiologistas, Otorrinolaringologistas, Terapeutas da Fala, Psicólogos, Enfermeiros), para a qual os pacientes possam ser referenciados pelos seus médicos de Medicina Geral e Familiar, de Pediatria e de Gerontologia.

Esta iniciativa permitiu a comunicação com o público e numerosos profissionais da área da saúde, estando presentes a Direção da APO representada pelo seu Presidente, Professor Dr. Nuno Trigueiros, o Presidente da Sociedade Portuguesa de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Professor Dr. Jorge Spratley e o seu Secretário-Geral, Dr. Delfim Tavares e, em representação, a Direção da Associação Portuguesa de Audiologia.

Professor Dr. Jorge Spratley, Dra. Luísa Monteiro, Professor Dr. Nuno Trigueiros

 

 

Bom dia Srs.(as). Drs.(as).,

 

A pedido da Direção da APO, enviamos informação sobre o Webinar, a realizar no próximo dia 17 de março.

 

Caros Colegas,

 

A Direção da Associação Portuguesa de Otoneurologia vai realizar no próximo dia 17 de Março pelas 21horas, um Webinar sobre Recomendações para a Doença de Ménière.

 

Durante 90 minutos vamos abordar, de acordo com o estado da arte, temas que vão do diagnóstico à terapêutica, sempre com um foco na prática clínica. Os colegas Nuno Trigueiros, Pedro Marques, Ana Margarida Amorim, Pedro Araújo, Carla Gapo, Rosa Castilho e Hugo Estibeiro estarão presentes, contribuindo para enriquecer a conversa. 

Contamos convosco.

 

Pela direção da Associação Portuguesa de Otoneurologia

Maria Manuel Henriques

Sandra Costa

 

Link para inscrição:

https://mylan.zoom.us/webinar/register/WN_yNuRgjUpSIOHJ3kZQ-H3eQ

  

Secretariado APO

 

 

 

 

 

No Hotel dos Templários, em Tomar, decorreu a 8 e 9 de Outubro o Congresso Anual da APO. Aguardado com expectativa, por se tratar duma reunião presencial após largo interregno causado pelas razões sanitárias conhecidas, incluiu, como é habitual, conferencias, mesas-redondas, cursos, comunicações – livres e posters.


 

O Congresso teve como Presidente de Honra o Prof. Herman Kingma, o qual proferiu uma conferencia sobre State of the art in diagnostics and treatment in patients with severe vestibular loss e um curso sobre Examination, Diagnosis and Management of patients with vestibular disorders: an efficient no-nonsense straightforward approach. O Prof Michael Strupp, cuja presença estava prevista, não pôde comparecer, embora o conteúdo das suas conferências tivesse sido apresentado por meios audiovisuais.

 

No concurso de Comunicações Livres foram galardoados os trabalhos:

1º Classificado

Tratamento da surdez súbita neurossensorial idiomática com corticoterapia intratimpânica em alta dose.

Sónia Martins, Pedro Alexandra, Pedro Marques, Carla Pinto Moura

Centro Hospitalar Universitário de S. João, Porto

 

2º Classificado

Patologia vestibular em idade pediátrica: análise retrospectiva.

Tiago Chantre, Inês Moreira, Mariana Oliveira, Bernardo Araújo, Margarida Bento, Herédio Sousa, Ezequiel Barros

Centro Hospitalar de Lisboa Central, Lisboa

 

Na classe de Posters foi vencedor:

Hipoacúsia neurossensorial bilateral de causa sifilítica - um diagnóstico desafiante e raro em otorrinolaringologia

Davide Lourenço Marques, Joana Gonçalves, Beatriz Ramada, Carmo Miguéis, Ana Margarida Amorim, Sofia Paiva, Luís Santos Silva

Centro Hospitalar Universitário de Coimbra, Coimbra

Veja as fotografias do Congresso

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

É com profunda mágoa que informamos o falecimento do Prof. Claude Conraux. Membro Honorário da APO, foi uma das personalidades que mais contribuiu para o desenvolvimento da otoneurologia em Portugal.
Neste momento tão triste, limitamo-nos a transcrever o mail do Dr. Christian Van Nechel, Presidente da Société Internationale d'Otoneurologie, , texto que sintetiza o essencial do percurso científico de Claude Conraux.
 
Cher(e)s collègues et Ami(e)s,
Le  (notre) professeur Claude CONRAUX, a quitté ce monde ce mardi 18 janvier 2022.
Ancien chef du service ORL du CHU de Strasbourg, il est le co-fondateur de notre Société d’Otoneurologie par l’organisation en 1965 d’une première réunion des « Pèlerins du Vestibule » afin d'élaborer des protocoles standards d’explorations de la fonction vestibulaire.
Ce n’est pas flagornerie de circonstance, que de reconnaître que la vestibulométrie d’aujourd’hui reste fondée sur des travaux de Claude CONRAUX, travaux à l’image de l’homme, déterminé, combatif mais toujours soucieux de comprendre.
D’emblée, il avait perçu la nécessité de réfléchir en médecine de fonction plutôt que d’organe en associant Maurice COLLARD, professeur de neurologie à ses réflexions et ses enseignements.
Le mot gratitude émerge spontanément de nos pensées, pour son enseignement, l’aide indirecte à nos patients, la prospérité de la clinique et de la recherche en otoneurologie en France et plus spécifiquement la création de cette toujours florissante école de Strasbourg.
Christian Van Nechel, pour la Société Internationale d'Otoneurologie
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
http://www.sio-otoneuro.org

Decorreu entre 17 e 19 de Setembro, em Viseu, o 68º Congresso da SORL-CCP, simultaneamente XVIII Congresso Luso-Espanhol de ORL Foi presidido pelo Dr. J. Marques dos Santos (que integrou a Comissão Organizadora), com destaque também para o Prof. Jorge Spratley (Presidente da SPORL-CCP e da Comissão Científica) e do Dr. Lima Gouveia, homenageado como Presidente de Honra.

O Programa que cobriu todas as valências de ORL-CCP, distribui-se como habitualmente por Conferencias, Mesas-redondas, Cursos e Comunicações Livres. Referência especial para a numerosa participações dos colegas espanhóis.

 

(fotos gentilmente cedidas pela Just News)

 

 

 

 

Faça-se membro

Faça-se membro
e junte-se à equipa!